Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Sonho de uma noite de Verão e outras noites...

Na sequência de diálogos imaginários sucedem-se também os monólogos. A imaginação liga-se à corrente e solta-se sem rei nem roque, pelo mundo a fora. Suposições, conversas, confissões, actos de rebeldia, momentos originais. No fundo todos queremos ser especiais e que nos façam sentir especiais.
Que nos apareçam à frente inusitadamente e sem aviso com um ramo de flores ou só com o desejo a sair pelos poros. Em qualquer uma das circunstâncias, que seja inesperado. E neste cenário, posso imaginar o que quiser e dizer o que me vier à cabeça, com nexo e sem ele, com linguagem aceitável ou sem qualquer sentido. Posso imaginar cheiros e texturas ou como me irás aparecer à frente. Escolher-te a roupa ou esperar que venhas sem ela.
E rio-me sozinha. E o enredo parece que se constrói por si só, na velocidade do meu pensamento, sem esforço.
Situações do dia a dia, declarações, praia, luares, perco-me no cenário mesmo quando o importante é o conteúdo e não o contexto. Demoro-me em detalhes banais. V…
Mensagens recentes

Ver com o coração

Espero na escuridão que chegues. Aguardo que me procures. Que sintas falta da minha presença no meio de todas as tuas ausências. Que queiras ouvir a minha voz. Que  a meio da madrugada me ligues só porque sim, porque não consegues dormir e queres falar comigo. Ou porque estavas a sonhar comigo e precisaste tornar o sonho real. Ou mesmo sem motivo, do nada só pelo desejo em fazê-lo. 
E espero na escuridão, que os sons da noite se preencham com a tua voz ou com a tua presença. Aguardo em silêncio que a clarividência da verdade te chegue. Anseio pelo dia em que sintas o que tanto racionalizas, que te libertes de todos os medos e constrangimentos e concretizes. Calma e pacientemente aguardo que, despertes para o que tens em frente aos teus olhos e que deixes de ansiar por tudo aquilo que não sabes e que deixes de ignorar o óbvio. 
O que fizeres hoje poderá trazer um amanhã melhor, sem precisares mudar de país, cidade ou planeta. Tudo está no sítio certo no momento exacto e nada é por acaso …

Já podemos fechar o ano?

Este ano, está a tornar-se muito estranho.
Ainda não consegui encontrar o nome ou definição para as pessoas que estão, são ou ficam órfãs de avós.
Só me resta uma avó, que lá se vai mantendo viva a esforço. Não se pode exigir muito mais quando se chega aos 93 anos numa situação débil. Mas ela é rija, feita de fibra das serras da beira baixa, com ela a máxima é: “antes morrer que torcer” e lá se vai mantendo.
O problema é que eu tive a sorte de ter nascido e ter comigo os meus 4 avós. Sempre tive imensa pena das pessoas que me diziam: não conheci os meus avós ou só tenho uma avó ou um avô. Coitados, que infelicidade! As pessoas não sabem, como é normal… se nunca tiveram, como vão saber? Podem imaginar ou ouvir com entusiasmo as histórias dos que têm, mas não sentem como seu. Agora sinto que está a chegar o fim do fim…e é um misto de sensações entre: tristeza e gratidão.
Eu fui uma privilegiada, bem sei. Primeiro morreu o pai da minha mãe, depois o pai do meu pai, este ano a mãe da minha…

Perdão

Saber perdoar e pedir desculpa, é muito mais do que simplesmente pedir perdão e desculpa. Não é esperar que a ocorrência se dê para pedirmos perdão. Não é esperar sermos incorretos ou mal educados para pedirmos desculpa.
Não é fazermos mal, e pedirmos perdão, na certeza que seremos desculpados. Não devemos gastar as palavras pela utilidade que têm. Devemos senti-las, cada vez que as aplicamos.
Desculpa sim, com sentido, com sentimento com emoção. Com a responsabilidade de reconhecermos que errámos.
Com o comprometimento de quem sabe que falhou. Não é dizê-lo da boca para fora. É um acto de coragem. É um acto de amor. É entregar, aceitar, compreender.
Perdoa-me por não retribuir com a mesma entrega. Perdoa-me por não saber dar-me. Perdoa-me por silenciar o vulcão que vive dentro de mim. Perdoa-me por não saber dizer as coisas como elas são. Perdoa por não estar ai para te abraçar. Perdoa-me por não te beijar quando quero. Perdoa-me por ser bruta e insensível. Perdoa-me por nem sempre estar disponív…

Cinzas

Somos do sítio onde nascemos e de todos os outros que se entranham na alma. 
Somos do sítio das origens dos nossos antepassados, somos de muitos trilhos e caminhos que definem a nossa génese. Somos do mundo, de Portugal e de algum pedaço de terra perdido no mapa. 
Uma parte de mim vem também do pinhal que agora ardeu (e de todos os outros que arderam anteriormente) das montanhas e vales de Pedrogão Grande, das serras vizinhas, da cordilheira central, das curvas e caminhos de pó, da floresta densa e de todo um conjunto de cheiros que só a natureza daquele sítio tem. 
Há coisas que só se sentem naquelas serras. Há coisas que só se vivem ali. Há um tempo fora do tempo, que pertence a esta floresta única. Cresci com os pinheiros, com os incêndios, com a chegada dos eucaliptos, com o calor de rachar no verão, com o frio de congelar no inverno, com amigos e histórias únicas vividas ali.
Tenho um amor imenso por estas terras: pela história da minha família que ali se enraizou, pela geografia, pe…

Exaustão

“Uma parte de mim é todo mundo: outra parte é ninguém: fundo sem fundo. Uma parte de mim é multidão: outra parte estranheza e solidão. Uma parte de mim pesa, pondera: outra parte delira.” ― Ferreira Gullar
Pela falta de capacidade em gerir o cansaço físico e emocional, Pela incompatibilidade entre o que se diz e o que se sente, Pela demora a encontrar um caminho ou o caminho, Pelo desleixe dos outros, Pela falta de cuidado com o próximo, Pelas saudades insuperáveis, Pelas relações difíceis, Pelas relações sem interesse, Pelo desinteresse pelo amor, Pelas sucessivas mentiras, Pelo vento insuportável, Pela falta de brilho e interesse, Pela solidão forçada mas necessária, Pela falta de alegria, paixão e tesão, Pela rotina, Pela ausência de pessoas interessantes e com interesses, Pela ausência de beijos e abraços, Pelas mensagens com sentido, Pelo carinho apenas pelo carinho, Pelos sorrisos sinceros, Pelas chamadas pela madrugada, Pelo genuíno interesse de quem gosta sem medo de o dizer, Pelo Paco e todos os …

Caminho certo

Uma pessoa perde-se, e acha que está no caminho certo. Até que um dia, volta tudo atrás por instantes e percebe que não. Ser racional acabou com os teus sonhos? Não. Transformou-os. Foi pelo melhor, sim. Naquele contexto. E agora? Não podes continuar a fugir da verdade. Voltaste lá, não foi? Afinal esses sonhos, esse propósito maior ainda vive dentro de ti. Está ai dentro, em repouso absoluto, em anos de convalescença forçada. Tinha de ser, disseste. Tem de ser. Escolheste. Fizeste e seguiste o caminho racional. O caminho sem paixão, o caminho útil. Sem graça mas necessário. O melhor e mais certo. Para ti e para os outros. O convencional e aceitável. O seguro. Está feito. E agora? É conhecimento e experiência que não se perde. É mais um valor que tens. Mais um. E os outros valores do começo? Aqueles que vinham lá de longe? Aqueles que cresceram contigo e dentro de ti? Tiveste de ir ver e sentir o que é ter paixão por alguma coisa.  As coisas que só a arte sabe ter. Que transpõe de dentro do corp…